Prefeito de Bonito é afastado do cargo por suspeita de irregularidades em licitações - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

quarta-feira, 3 de agosto de 2022

Prefeito de Bonito é afastado do cargo por suspeita de irregularidades em licitações


Operação Saturno do Ministério Público cumpre 20 mandados de busca e apreensão e prendeu duas pessoas em flagrante.



Prefeitura de Bonito é alvo de investigações do Ministério Público do Pará  — Foto: MPPA/Divulgação
 Prefeitura de Bonito é alvo de investigações do Ministério Público do Pará — Foto: MPPA/Divulgação

O prefeito de Bonito, no nordeste do Pará, Michel Assad, foi afastado do cargo nesta quarta-feira (3) por suspeita de "irregularidades em procedimentos licitatórios e contratos de algumas empresas" com a prefeitura.

O afastamento foi determinado pela Justiça a pedido do Ministério Público do Pará (MPPA) que deflagrou a Operação Saturno para cumprir 20 mandados de busca e apreensão nas casas dos investigados. Duas pessoas foram presas em flagrante por porte e posse ilegal de arma de fogo.

"A investigação é focada em seis empresas, que são na maioria de familiares do prefeito", informou Daniel Bona, Promotor de Justiça delegado do caso.

Até a publicação desta reportagem, o g1 não obteve retorno aos recados deixados à prefeitura e ao prefeito com pedido de posicionamento sobre a operação.

Jóias e dinheiro estão entre itens apreendidos em operação que apura irregularidades na contratação de empresas pela prefeitura de Bonito — Foto: MPPA/Divulgação

O Ministério Público do Pará não detalhou o período em que as irregularidades teriam ocorrido nem quantas pessoas são investigadas ao todo. Também não foi confirmado quem são as duas pessoas presas, no entanto, segundo o MPPA, nenhuma delas é o prefeito.

Mais de 50 agentes cumprem mandados de busca em Bonito, CapanemaSanta Maria do ParáAnanindeua e Belém.

A investigação iniciou neste ano após denuncias "contra o Prefeito Municipal de Bonito apontando várias irregularidades em procedimentos licitatórios e contratos de algumas empresas com o Poder Público Municipal". Não foi informado quando ocorreram as primeiras denúncias.

"Restou constatado que as contratações ora investigadas apresentam conjunto consistente de indícios de fraude, sugerindo montagem do processo e favorecimento das empresas contratadas, que no geral pertencem a parentes do gestor municipal", informou

A ação é realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Inteligência e Segurança Institucional do (GSI/MPPA), o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), o Gabinete Militar e a Procuradoria-Geral de Justiça.

Os mandados de busca, prisão e afastamento do prefeito foram deferidos pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará a pedido da Procuradoria-Geral de Justiça.

g1 Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário