Morre, aos 82 anos, James Caan, estrela de ‘O poderoso chefão’ - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

quinta-feira, 7 de julho de 2022

Morre, aos 82 anos, James Caan, estrela de ‘O poderoso chefão’



 (crédito: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT)
(crédito: ANNE-CHRISTINE 

O ator James Caan, conhecido por viver o papel de Sonny Corleone, na tradicional trilogia mafiosa, O poderoso chefão, morreu na noite desta quarta-feira (6/7), aos 82 anos. A informação foi confirmada pela conta oficial do astro no Twitter. A causa da morte ainda não foi informada. Veja o comunicado abaixo.

"É com grande tristeza que informamos a vocês a morte de Jimmy (apelido de James) na tarde de 6 de julho. A família aprecia as demonstrações de amor e condolências e pede que vocês continuem a respeitar a privacidade deles durante este período difícil", informa a nota.

James nasceu em Nova York e iniciou a carreira na década de 1960, no teatro e na televisão. O primeiro papel em cinema do ator foi no longa Irmã Dulce, lançado em 1963, dirigido por Billy Wilder. Antes mesmo de atuar em O poderoso chefão, James Caan foi indicado ao Emmy pelo filme Glória e derrota, lançado em 1971.

A parceria do astro com Francis Ford Coppola teve início em Caminhos mal traçados, lançado em 1969, e estendeu-se até o papel do violento e esquentado Sonny no clássico dos mafiosos em 1972. No ano seguinte, a atuação de James Caan rendeu a indicação ao Oscar na categoria de melhor ator coadjuvante pelo papel de Sonny Corleone, o filho mais velho Vito Corleone (Marlon Brando) no primeiro filme da trilogia de O poderoso chefão. Caan também esteve no segundo filme da franquia.

O ator ficou conhecido ainda pelos filmes Louca obsessão (1990), Profissão: Ladrão (1981) e Rollerball: Os gladiadores do futuro (1975).

James Caan foi casado quatro vezes: entre 1961 e 1966 com Dee Jay Mathis, com Sheila Marie Ryan de 1975 a 1976, com Ingrid Hajek de 1990 a 1994 e com a última esposa Linda Stokes, de 1995 a 2017. Ele teve cinco filhos, entre eles, Scott Caan, que atuou na série Hawaii Five-0, lançada em 2010.

Correio Brasiliense,

Nenhum comentário:

Postar um comentário