Laudo informa que policial penal atirou três vezes em petista, que fez 13 disparos - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

quarta-feira, 27 de julho de 2022

Laudo informa que policial penal atirou três vezes em petista, que fez 13 disparos

Jorge Guaranho tornou-se réu por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e perigo comum
Policial penal federal Jorge Guaranho que matou o petista Marcelo arruda | Foto: Reprodução/Redes sociais

O policial penal Jorge Guaranho atirou três vezes no petista Marcelo Arruda, que revidou com 13 disparos, em 9 de junho, em Foz do Iguaçu. A informação foi divulgada, na terça-feira 26, pelo Instituto de Criminalística do Paraná e anexado à investigação do caso.

Segundo o documento, as duas pistolas encontradas na cena do crime foram avaliadas. Um dos projéteis estava alojado no peito de Marcelo. A arma que Guaranho usou é uma pistola semiautomática .40, que tinha um brasão da República com a inscrição do Departamento de Polícia Penal do Paraná, de acordo com o laudo. Na arma foram encontrados 13 projéteis intactos.

Já na arma de Marcelo, uma pistola semiautomática .380, tinha o brasão da Guarda Municipal de Foz do Iguaçu e efetuou 13 disparos. “As duas armas encontravam-se externamente em regular estado de conservação”, informou o texto.


Armas do crime | Foto: Instituto de Criminalística do Paraná

Terra no carro

Em 22 de julho, um outro laudo foi anexado ao processo criminal. O documento confirmou que resquícios de terra foram encontrados no carro de Guaranho. Anteriormente, as câmeras de segurança do local, onde Marcelo comemorava seu aniversário, mostravam o petista pegando algo no chão e arremessando no carro do policial penal. Isso aconteceu antes da troca de tiros.

O texto da polícia menciona apenas “sujidades” e não pedras, como a delegada do caso Camila Cecconelo havia dito anteriormente. A mulher de Marcelo disse, em 13 de julho, que ele jogou terra e pedras no carro.

O policial penal tornou-se réu por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e perigo comum, depois que o Ministério Público do Paraná o denunciou.

O crime

Em 9 de julho deste ano, por volta das 23 horas, Guaranho invadiu a festa e disparou contra o petista, que comemorava seu aniversário. Arruda sofreu dois disparos. Mesmo ferido, segundo relatos, ele conseguiu revidar e atingiu o agressor com um tiro na cabeça. O petista chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Vídeos divulgados nas redes sociais mostram o início da discussão que levou à morte de Marcelo. Em um primeiro momento, Guaranho chega ao local da festa e grita em direção ao petista. Na sequência, Marcelo resolve atirar objetos contra o carro do agente penitenciário. Guaranho vai embora, mas volta tempos depois. Ele desce do carro, saca uma arma e dispara duas vezes contra o petista. Mesmo caído, Marcelo consegue reagir e ferir Guaranho. Por fim, um colega do petista chuta pelo menos quatro vezes a cabeça do agente penitenciário.

Fonte Revista Oeste 

Nenhum comentário:

Postar um comentário