Índia deve ultrapassar a China como país mais populoso em 2023, diz relatório da ONU - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

terça-feira, 12 de julho de 2022

Índia deve ultrapassar a China como país mais populoso em 2023, diz relatório da ONU

Documento também mostrou que população mundial pode atingir a marca 8 bilhões este ano

Mercado lotado em Mumbai, na Índia, durante pandemia de Covid-19
Mercado lotado em Mumbai, na Índia, durante pandemia de Covid-19
Foto: Niharika Kulkarni/Reuters 

Índia deve superar a China como o país mais populoso do mundo em 2023, cada país com mais de 1,4 bilhão de habitantes este ano, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado nesta segunda-feira (11), alertando que a alta fecundidade desafiaria o crescimento econômico.

A população mundial, que vai atingir a marca 8 bilhões em 15 de novembro deste ano, pode crescer para 8,5 bilhões em 2030 e 10,4 bilhões em 2100, à medida que o ritmo da mortalidade diminui, informou o documento divulgado no Dia Mundial da População.

A população da Índia era de 1,21 bilhão em 2011, de acordo com o censo doméstico, que é realizado uma vez por década. O governo havia adiado o censo de 2021 devido à pandemia da Covid-19.

A população mundial estava crescendo no ritmo mais lento desde 1950, tendo caído abaixo de 1% em 2020, mostraram estimativas da ONU.

Em 2021, a fecundidade média da população mundial era de 2,3 nascimentos por mulher ao longo da vida, tendo caído de cerca de 5 nascimentos em 1950. A fecundidade global deverá diminuir ainda mais para 2,1 nascimentos por mulher até 2050.

“Esta é uma ocasião para celebrar nossa diversidade, reconhecer nossa humanidade comum e nos maravilhar com os avanços na saúde que prolongaram a vida útil e reduziram drasticamente as taxas de mortalidade materna e infantil”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, em um comunicado.

Ainda assim, uma população crescente foi um lembrete de uma responsabilidade compartilhada de cuidar do planeta e “refletir sobre onde ainda estamos aquém de nossos compromissos uns com os outros”, disse ele.

Referindo-se a um relatório anterior da Organização Mundial da Saúde (OMS) — estimando cerca de 14,9 milhões de mortes relacionadas à pandemia da Covid-19 entre janeiro de 2020 e dezembro de 2021, o relatório da ONU disse que a expectativa de vida global ao nascer caiu para 71 anos em 2021, de 72,8 anos em 2019, principalmente por conta da pandemia.

As Nações Unidas disseram que mais da metade do aumento projetado da população global até 2050 estará concentrado em oito países — Congo, Egito, Etiópia, Índia, Nigéria, Paquistão, Filipinas e República Unida da Tanzânia.

Espera-se que os países da África Subsaariana contribuam com mais da metade do aumento previsto até 2050.

No entanto, a população de 61 países deverá diminuir 1% ou mais entre 2022 e 2050, impulsionada por uma queda na fecundidade.

Fonte CNN

Nenhum comentário:

Postar um comentário