Festa de Corpus Christi, em Capanema - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

sexta-feira, 17 de junho de 2022

Festa de Corpus Christi, em Capanema


Governador foi ao município participar da festividade e dar a boa nova à população, que há 46 anos organiza a celebração nas ruas da cidade


Há 46 anos, a população católica de Capanema decora as ruas da cidade com serragem colorida para a procissão de Corpus Christi


A quinta-feira (16) foi de festa em Capanema, no nordeste paraense, não apenas pela celebração de Corpus Christi, mas também porque o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e Departamento de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (DPHAC), instituiu o reconhecimento da festividade como Patrimônio Imaterial paraense. Realizada há 46 anos, a festa é uma das celebrações religiosas mais importantes do Estado. 

A iniciativa foi o primeiro registro de Bem Imaterial feito integralmente pelo Executivo, por meio da Lei 1.852/2009. De acordo com a diretora do DPHAC, Karina Moriya, o processo incluiu um dossiê feito pela equipe do Departamento, que verificou a história, a importância e a cultura que esse bem representa. A partir do documento será executado o planejamento das ações de salvaguarda. mostra o inventário da festividade de Capanema, que fundamenta o status de patrimônio cultural imaterial


A cerimônia foi realizada em frente à Igreja Matriz do município e contou com a presença do governador Helder Barbalho, que destacou a procissão como uma referência do povo católico e da cultura da região. “Isso tudo deve cada vez mais ser estimulado para manter viva essa procissão católica, mas também o turismo religioso, as manifestações culturais que são plurais em nosso Estado e que têm aqui, em Capanema, no Corpus Christi, um momento muito especial para atrair as pessoas. Com isso, nós podermos agregar cultura, religião e economia pulsante através desta manifestação”, pontuou.

“É uma grande honra para a Secult fazer esse reconhecimento e tornar a celebração não apenas um

Dom Carlos: procissão em Capanema vem da alma do povo

patrimônio local, mas de todo o Estado do Pará. O processo está apenas iniciando, com seu plano de salvaguarda, planejamento de estudos e revalidação a cada período. Com isso, o objetivo é preservar e celebrar cada vez mais a cultura do nosso Estado”, frisou o titular da Secult, Bruno Chagas.

Dom Carlos - Para D. Carlos Verzeletti, bispo diocesano de Castanhal, reconhecer uma manifestação feita pelo povo é um ato de profunda sensibilidade. “Fico muito contente que o Governo do Estado tenha reconhecido essa procissão como patrimônio cultural imaterial, porque é algo que vem da alma do povo, foi crescendo cada vez mais e que expressa um povo unido, que trabalha em comunhão e mutirão, onde cada um dá um pouco de si e que, mais e mais, vai atraindo outras pessoas. Então, fico muito agradecido a todos aqueles que trabalharam para concretizar esse registro, que ficará para sempre”, comentou D. Carlos.

O prefeito de Capanema,  também esteve presente e falou sobre a iniciativa. “Agradeço ao governador  em nome do povo de Capanema e de toda a comunidade católica desse município por esse momento histórico no dia da festa de Corpus Christi, quando foi assinado o decreto que reconhece essa procissão como um bem imaterial do nosso Estado, em um momento tão importante da vida religiosa e cristã do município de Capanema”, finalizou.

Por Thaís Siqueira (SECULT)
Foto: David Alves / Ag.Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário