Aumenta o clima de tensão entre funcionários de empresa e ladrões de dendê - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

terça-feira, 17 de maio de 2022

Aumenta o clima de tensão entre funcionários de empresa e ladrões de dendê


Recrudesceu o índice de tensão entre funcionários da empresa Brasil Bio Fuels Reflorestamento, Indústria e Comércio S/A (BBF RIC) e grupos de indígenas liderados por Paretê Tembé acusados de invasões, saques, depredações de fazendas, incêndios e furtos de frutos de dendê que são comercializados junto às empresas concorrentes como a Agroflorestal Vila Nova, localizada no município de Acará, já denunciada em várias ocorrências registradas nas delegacias de Polícia Civil de Quatro Bocas, Tomé-Açu e Acará.
Inconformados com os enormes prejuízos e com o começo de demissão em massa, funcionários da BBF ameaçam destruir pontes de ramais, fechar vias de acesso para impedir o escoamento de produção e deslocamento de veículos até que as autoridades tomem providências no sentido de coibir os crimes que os estão levando ao desemprego e a passarem necessidade com suas famílias.
Segundo os manifestantes divulgaram em redes sociais, "Estamos cansados do descaso das autoridades deste município de ante ao caso da BBF, onde vemos toneladas de frutos roubados passar em plena avenida e ninguém faz nada e todos sabem para onde vai esses frutos roubados: vão pras duas empresas na Vila Nova (Vila Nova Agro Industrial e a Belém Bio Energia ), que são as responsável por contribuir pra esses bandidos. Diante disso, vemos centenas de trabalhadores pais de famílias perdendo seus empregos. Se esta semana as autoridades não tomarem uma providência, vão ser queimadas pontes sobre os rios Cuxiu Rio e Pequeno e essas serão apenas as primeiras. Lembrando que esse ato não tem nada a ver com a empresa; somos apenas funcionários cansados com essa palhaçada".
Em motos, picapes, veículos pequenos e caminhões, diversos grupos de funcionários saíram buzinando pelos ramais, chamando atenção para a grave situação, tendo sido acionada a Polícia Militar.
Por sua vez, a Polícia Civil do distrito de Quatro Bocas, no município de Tomé-Açu, tomou conhecimento que um grupo de invasores liderados por Miriam Tembé, Adenilzo Ramos da Silva, Maeco, Marques Tembé, estariam elaborando um plano de invadir a fazenda Campos Belo para "furtar os demais materiais e equipamentos que sobraram na empresa, após a última investida criminosa", que envolveu, ainda segundo a denúncia, Paretê Tembé, Raimundo Silva e Silva, Marques Tembé e Adenilzo Ramos da Silva. "Tais indivíduos lideram toda a atividade criminosa de furto de frutos e invasões na área da empresa BBF", conforme relatou em boletim de ocorrência Raimundo Brito Pires, representante da empresa vitimada.
Ele também pediu providências no sentido de que sejam coibidos os crimes e que grupos se encontram furtando, à luz do dia, frutos de dendê dos centros produtores da BBF localizados nas fazendas NCR, São João, Ilha Verde, Campos Belo, 3 Irmãs e Erikawa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário