Como levar o meu cachorro em uma viagem de férias - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Como levar o meu cachorro em uma viagem de férias

Poder levar o cachorro numa viagem de férias é uma diversão, o problema é que não simples assim. Algumas raças não podem ser transportadas em voos aéreos porque sofrem demais e podem até correr risco de morte. Outras raças não podem ser transportados no compartimento de carga, mas conseguem ser levados na cabine. De acordo com Adolfo Yoshiaki Sasaki, médico veterinário da Vetsan Centro Médico Veterinário, os cães braquicefálicos, com focinho diminuído ou achatado, têm maiores problemas com viagens de avião. “Eles já têm dificuldade para respirar naturalmente, numa situação estressante como o voo eles não vão conseguir respirar pelo focinho, precisando usar apenas a boca. O problema é que o ar vai despreparado e rarefeito, deixando os cães com falta de ar”, explica. Quando o ar entra pelo nariz ele é filtrado e aquecido, chegando ao organismo em condições perfeitas.
Adolfo lembra que o avião é muito seco e o ar é gelado, podendo deixar o animal com vasoconstrição, retraindo os vasos sanguíneos e evitando que o ar entre no organismo. O caso pode evoluir para desmaios, anorexia e até mesmo cianose ou parada respiratória e cardíaca – algumas vezes levando ao óbito. “Vale lembrar que qualquer animal tem problemas em viagens por ficar fechado e estar num ambiente estranho”, diz. Para o médico veterinário, é imprescindível procurar ajuda de um especialista antes de qualquer embarque. “Só assim será possível minimizar danos, conhecer o manejo correto do animal como evitar oferecer alimentos antes da viagem e, se necessário, receitando remédios ou providenciando brinquedos para deixar o bicho mais tranquilo”, finaliza.
Companhias aéreas a proibições

No caso da LATAM as raças realmente proibidas de serem transportadas, independentemente da forma, são Pitbull Terrier americano, Staffordshire Terrier americano, Staffordshire Bull Terrier, Bull Terrier, Bulldog americano, Dogo americano, Fila brasileiro, Karabash, Mastín, Mastín napolitano, Boxer, Rottweiler, Pit Bull Terrier, Mastiff inglês, Dogue canário, Dogue de Bordeaux, Akita Inu e Bullmastiff.
Na GOL existem três possibilidades de transporte de animais. Na cabine, para cães e gatos de pequeno porte, no porão dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros para animais entre 11 e 30 kg ou via Gollog, quando o animal ultrapassa o peso de 30 kg. Para o transporte na cabine são aceitos hoje todos os tipos de cães, desde que tenham idade mínima de quatro meses, peso máximo de 10 kg com a caixa de transporte. Já no compartimento de carga, não são permitidos cães e gatos de focinho curto, por conta das características de seu sistema respiratório. São elas: Buldogue Americano, Boston Terrier, Boxer, Griffon de Bruxelas, Pug Chinês, Chow Chow, Pug Holandês, Pug, Pequinês, Buldogue Inglês, Cavalier King Charles Spaniel, Buldogue Francês, Dogue de Bordeaux, Lhasa Apso e Shih tzu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial