Parque Zoobotânico Mangal das Garças é opção de lazer e passeio ao ar livre neste mês de julho - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

quinta-feira, 15 de julho de 2021

Parque Zoobotânico Mangal das Garças é opção de lazer e passeio ao ar livre neste mês de julho


O espaço tem atrativos que garantem a diversão de adultos e crianças, com caminhadas que permitem a apreciação da fauna e da flora amazônica, de 8h às 18h

O Mangal das Garças representa um pedaço da riqueza amazônica em plena cidade, um oásis para quem valoriza a natureza, em BelémAos que desejam aproveitar o que Belém tem de melhor no mês das férias o Mangal das Garças é uma ótima opção de lazer. O Parque Zoobotânico se consagra como um dos melhores destinos quando o assunto é passeio ao ar livre. No local, é possível entrar em contato com uma amostra da fauna e da flora amazônica e ainda apreciar a culinária regional. O Mangal é aberto ao público de terça a domingo, de 8h às 18h.

O Parque Zoobotânico Mangal das Garças possui grandes atrativos que garantem a diversão das crianças no mês das férias. Durante o passeio, muitos animais de vida livre como garças, iguanas e flamingos encantam os visitantes pelos caminhos e trilhas do Parque. Aves pernaltas, marrecas e quelônios convivem embelezados pelas vitórias régias nos lagos artificiais.

Administrado pela Organização Social Pará 2000, o Mangal também realiza um excelente trabalho com animais resgatados, garantindo a eles todo o aparato necessário para que possam se recuperar e ter uma vida mais digna, incluindo, no caso dos espécies que não tenham condições de retorno à natureza, a integração destes a espaços monitorados e adequados para cada espécie. Dentre os espaços monitorados estão:

O Parque acolhe aves pernaltas como flamingos, guarás, cisnes, e, ainda, marrecas e quelônios como tracajás em lagosReserva José Márcio Ayres - Conhecida popularmente como borboletário, a reserva é um espaço de contemplação da natureza, que possui diversas espécies de aves como o Beija-flor(Chlorestes notatus), Curió (Sporophila angolensis), Periquitos-de-asa-branca (Brotogeris versicolurus) Pavãozinho do Pará (Eurypyga helias) e outras. Marrecas Irerê (Dendrocygna viduata) e a arraia Negra (Potamotrygon leopoldi) também podem ser encontrados no local; além das famosas borboletas, de quatro espécies diferentes: a borboleta Júlia, a borboleta-coruja, a borboleta-brancão e a ponto-de-laranja. Diariamente ocorre, dentro da reserva, às 10h e às 16h, a soltura de borboletas recém saídas do casulo, momento considerado de beleza ímpar pelos visitantes.

Viveiro das Aningas - O Viveiro das Aningas é outro dos espaços monitorados do Mangal das Garças, montado em uma estrutura metálica que permite sustentar uma leve tela, onde o visitante pode internamente apreciar mais de 35 espécies de aves moradoras do local, algumas consideradas aves exóticas, como a Jacupemba (Penelope superciliaris), o Japu (Psarocolius decumanus), o Colheiro (Platalea ajaja), o Mutum de Penacho (Crax fasciolata), entre outras.

"O Mangal tem uma proposta de recuperar animais vítimas de acidentes, do tráfico ilegal, abandono e maus-tratos das mais diversas naturezas, que não podem ser reintegrados em seus respectivos habitats de origem. Nós damos uma oportunidade a animais que não estão saudáveis e que, em muitos casos, sofreram danos irreparáveis", explica Camilo González, veterinário do Mangal das Garças.

Farol de Belém - Junto do Viveiro, uma torre em estrutura metálica de 47 metros de altura e dois níveis de observação, a 15 e a 27 metros, de onde se descortina a bela cidade das mangueiras, sendo possível contemplar uma grande extensão da Orla de Belém. O farol no topo está inscrito nas cartas náuticas brasileiras.

Mirante do Rio - A partir do pavilhão central, numa elevação que avança sobre a vegetação nativa e dá acesso a uma passarela de 100 metros sobre a várzea, o visitante tem acesso ao Mirante que permite uma vista ampla do do centro histórico de Belém e do rio Guamá sendo um dos locais mais procurados para contemplação do pôr do sol na cidade.

Lago Cavername e Lago da Ponta - Aves pernaltas como flamingos e Guarás, Cisnes, marrecas e quelônios como tracajás (Podocnemis unifilis), tartarugas das Amazônia (Podocnemis expansa) e Aperema (Rhinoclemmys punctularia) convivem nos lagos artificiais. Em destaque no local está a escultura em madeira do artista plástico Geraldo Teixeira e vitórias-régias, além de uma pequena "ilha" para convivência das aves.

Fonte de Caruanas - Cascata de pedra próxima a entrada do Parque, onde nasce um riacho. Em destaque a escultura de bronze da artista plástica Sônia Ebling.

Memorial Amazônico da Navegação - Detalhes transformam o Memorial Amazônico da Navegação num ambiente atrativo e diferente. Os visitantes encontram no museu os três aspectos da evolução dos meios de transporte de navegação na Amazônia: o aspecto militar, (representado pela Marinha do Brasil); o comercial representado por um breve histórico da Enasa; e o regional, revelado na exposição de barcos que são muitos utilizados na região Norte.

"Visitar o Mangal é uma excelente escolha em Belém, pois além de ser uma atração turística, é também um lugar de aprendizagem, onde pode-se acompanhar bem de perto o comportamento dos animais nos espaços monitorados e na fauna livre", comenta Basílio Guerreiro, biólogo do Mangal das Garças.

Gastronomia - O Mangal também dispõe de ótimas opções de gastronomia. O Manjar das Garças é um premiado restaurante, conhecido especialmente pela culinária regional. O quiosque Pai D'Égua também é famoso por sua comida caseira e pelos souvenirs, que são excelentes opções de presentes, tanto para os visitantes paraenses, quanto para os turistas que desejam levar uma lembrança deste ponto turístico da cidade.

Flores - A floricultura Amazon Flores, recém inaugurada no Mangal das Garças, está com muita variedade de plantas e flores. O espaço aproveita uma grande parte da arquitetura de madeira do orquidário, também surge com um conceito ecológico, com um quiosque e exóticos vasos feitos de bambu.

As corujas Cecília e Olivia também fazem a alegria das crianças, que adoram fazer fotografias junto as aves. Elas podem ser vistas todos os dias no Mangal. "Ninguém sai do Parque sem um conceito de educação ambiental, que é passado através da soltura das borboletas, alimentação das garças e passeios da coruja Olívia, eventos que acontecem todos os dias no Mangal e sempre encantam os visitantes" conta Basílio Guerreiro.

Programação diária no Mangal:
- Soltura das borboletas no Borboletário: 10h e 16h (monitorado)
- Passeio da Coruja Olívia: de terça a sexta - 17h
- Alimentação das garças no Recanto da Curva: 11h, 15h, 17h30

Serviço
O acesso ao Mangal das Garças exige o uso obrigatório de máscara e permanência no local.
Funcionamento: de terça a domingo, das 8h às 18h. O espaço fecha para manutenção nas segundas-feiras.
Espaços monitorados: Farol, Viveiro das Aningas, Museu Amazônico da Navegação e reserva José Márcio Ayres (borboletário). Para visitar os espaços monitorados, é necessário adquirir o ingresso por R$ 5,00.

*Texto de Beatriz Pastana e Gabriel Nascimento (Ascom da OS Pará 2000).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial