Setur lança campanha sobre presença da mulher na área do turismo - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

sábado, 20 de março de 2021

Setur lança campanha sobre presença da mulher na área do turismo


A prioridade é discutir a desigualdade de gênero no setor que emprega, no Brasil, cerca de 6 milhões de trabalhadoras

Neste mês de março, que celebra o Dia Internacional da Mulher, a Secretaria de Estado de Turismo (Setur) lança uma campanha de conscientização acerca da figura da mulher na área do turismo nas redes sociais. A iniciativa tem como objetivo principal propor uma reflexão sobre a desigualdade de gênero e incentivar o debate de questões específicas sobre a mulher nesse setor econômico, seja como empreendedora, colaboradora, pesquisadora ou turista.

A campanha vai ao encontro dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), traçados para transformar o planeta em um lugar mais justo para as próximas gerações, e tem relação direta com a ODS 5: Igualdade de Gênero.

"O objetivo da ação é trazer uma chamada para o debate. O dia 8 de Março é, por si só, de muita luta e reflexão. Então, a gente aproveitou esse tema central para usar como gancho no nosso mercado do turismo paraense", afirma a coordenadora de Marketing - Promoção da Setur, Rhuanne Pereira

Ela explica que entre os aspectos abordados estão a presença das mulheres em empresas do setor; dificuldades enfrentadas por mulheres que viajam sozinhas; turismo sexual e a mulher como atrativo; como o turismo pode apoiar a diminuição das desigualdades de gênero e tendências de mercado no contexto pós-pandemia.

Maior empregador - De acordo com a ONU, as mulheres representam 66% da força mundial de trabalho. No Brasil, o turismo é o mercado que mais emprega, com cerca de 6 milhões de trabalhadores, e os dados do Cadastur (cadastro de prestadores de serviços turísticos elaborado pelo Ministério do Turismo, em parceria com os órgãos oficiais de turismo das 27 unidades da Federação) mostram que 53% das vagas de trabalho no turismo nacional são ocupadas por mulheres. Além de estarem em maior número no mercado, as trabalhadoras do turismo brasileiro mostram elevado nível de qualificação formal: 36% têm curso superior completo, 32% possuem pós-graduação, 14% já concluíram mestrado e 5% têm doutorado.

Para Eline Lhamas, consultora em Alimentos & Bebidas de restaurantes terceirizados em hotéis, as mulheres estão presentes em todos os setores da hotelaria de forma expressiva e ocupando cargos de chefia de departamento com bastante frequência.

Entretanto, ela questiona essa presença na cúpula diretiva das corporações e condições salariais equivalentes. "Ocupamos gerências de setores, como RH (Recursos Humanos), Compras, Vendas, Reservas, Recepção, Governança, A&B e Financeiro. Muitas já conquistaram, e desenvolvem com muita habilidade, a Gerência Geral. Porém, infelizmente os cargos de Diretoria nas grandes redes ainda são, em sua maioria, ocupados por homens. Salário é outro ponto ainda não equiparado. Como turistas, seja de lazer, seja de negócios, a presença da mulher é expressiva", reitera Eline Lhamas.

As atividades em alojamento, hotéis, pousadas e afins é uma das que mais emprega mulheres - ocupação de 66% das vagas. "Pelo menos nos últimos 20 anos, que eu tenho acompanhado, a participação da mulher tem sido muito destacada. Quando eu comecei, a presença nos cargos de chefia era mais equiparada. A mulher tem crescido, sendo protagonista da cadeia hoteleira e no turismo em geral", ressalta Ariane Mathne, gerente-geral de um hotel de grande porte em Belém.

"Na área do serviço temos muito a questão do cuidado e da empatia, de se colocar no lugar do cliente, de entender as necessidades do cliente. Turismo é uma área que mexe com a sensibilidade. É preciso ter feeling dos anseios, e exige muita flexibilidade da gente. A mulher tem muito isso", destaca Ariane.

Na posição de gerente, ela frisa a importância de as novas contratações manterem o equilíbrio entre homens e mulheres, na busca por relação coerente entre razão e emoção na equipe de trabalho. "Quanto mais diversidade de gênero, idades e orientação sexual numa equipe, melhor", garante Ariane Mathne.

O desafio da segurança é um ponto que também chama atenção no setor. De acordo com dados do Ministério do Turismo, apenas 18% das mulheres viajam sozinhas no Brasil. E segundo levantamento do Trip Advisor, em nível mundial 67% das mulheres priorizam a segurança na hora de escolher um destino, sendo este o maior obstáculo para mulheres viajantes.

Aos interessados em participar da campanha e da pesquisa de opinião, basta seguir @seturpara no Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial