CORREDOR VERDE" VERSUS "MANCHA LILÁS": UMA VISÃO PANORÂMICA DA GEOGRAFIA DO VOTO EM BELÉM - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

CORREDOR VERDE" VERSUS "MANCHA LILÁS": UMA VISÃO PANORÂMICA DA GEOGRAFIA DO VOTO EM BELÉM

"

Saint-Clair Trindade Jr, Dr. em Geografia Humana (NAEA/UFPA)
Estêvão José Barbosa, Dr. em Geografia Física (Fac. de Tec. em Geoprocessamento/UFPA)

Ainda que as unidades geográficas eleitorais estabelecidas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) revelem internamente diferenças socioeconômicas, é possível, em linhas gerais, tirarmos algumas conclusões sobre a espacialização dos votos dos eleitores do Município de Belém no segundo turno das eleições de 2020, segundo dados divulgados pelo TRE-PA. O mapa eleitoral (Apêndice II) nos mostra que:

a) mesmo que com pouca diferença, o professor Edmilson Rodrigues (PSOL) ganhou em bairros pericentrais de baixadas e/ou de baixa renda e nas ilhas e/ou subúrbios distantes.

b) o delegado Eguchi (Patriotas) ganhou em bairros pericentrais e de classe média, assim como na área de transição e na chamada Nova Belém.  

Essa  geografia eleitoral diz muito sobre as desigualdades socioespaciais, sobre a distribuição das classes sociais no território municipal e sobre as relações de poder e suas espacialidades e territorialidades:

a) a classe média baixa e os moradores de bairros e/ou espaços estigmatizados pela pobreza e pela exclusão social tenderam, ainda que sutilmente, a votar em Edmilson Rodrigues. São exemplos a 26a. e a 96a. zonas eleitorais.

b) a classe de maior poder aquisitivo, a nova classe média e alguns estratos sociais mais bem acomodadas no espaço urbano, seja pela localização, seja pela infraestrutura instalada, tenderam levemente a votar no delegado Eguchi. São exemplos a 76a. e a 95a. zonas eleitorais.

Curioso é também perceber que o "corredor verde", de bairros com maior apoio ao candidato dos Patriotas, formou-se justo no entorno do eixo que constitui, do ponto de vista geormorfologico, a parte mais elevada do sítio urbano do Município, indo de Nazaré ao Coqueiro.  

Nas bordas desse corredor, por sua vez, formou-se uma extensa e espraiada "mancha lilás", formada por bairros que apoiaram o candidato psolista. Aí estão as terras de menores níveis hipsométricos, com infraestrutura mais precária, onde ocorrem frequentes alagamentos e onde se concentra uma população visivelmente mais carente. 

Na "mancha lilás" é importante destacar o peso dos bairros da zona sul de Belém, na chamada Primeira Légua Patrimonial, com uma população de gênese historicamente reconhecida como ribeirinha e com maior engajamento em movimentos sociais que emergiram no processo de formação das chamadas baixadas. Aí há uma reconhecida trajetória de militância política com apoio da esquerda, a exemplo dos bairros do Guamá e Jurunas e, extensivamente, a Terra Firme.

O "corredor verde", por seu turno, que se estende pela chamada Segunda Légua Patrimonial, lá onde a Igreja católica e os movimentos sociais têm menos força, a vitória do candidato dos Patriotas pode ter a ver com o avanço das igrejas evangélicas para esse vetor de expansão de Belém; igrejas essas que declaradamente mostram maior afinidade com as propostas daquela agremiação político-partidária. 

Essa tendência, como já dito, não pode deixar de considerar que as diferenças de votos entre os dois candidatos não foram significativas, o que faz reconhecer que ambos foram bem votados em todas as unidades geográficas definidas pelo TRE-PA, revelando vantagens às vezes mínimas entre vencedor e perdedor em cada uma delas.

Trata-se, de qualquer forma, de uma geografia eleitoral panorâmica que espelha, ainda que parcialmente, no plano político, as relações assimétricas, os conflitos de classe e as condições de vida que definem a dinâmica social e econômica presente no Município de Belém.

APÊNDICE I - RESULTADO DOS VOTOS POR ZONAS  ELEITORAIS SEGUNDO O TRE-PA

1ª Zona
Bairros: Jurunas, Batista Campos, Cidade Velha, Capina.
*Edmilson 54,61%* e 33.632 votos
Eguchi 45,39% e 27.951 votos

95ª zona
Bairros: Reduto, Umarizal, Pedreira
*Eguchi 51,85%* e 38.115 votos
Edmilson 48,15% e 35.393 votos

76ª zona
Bairros: Nazaré, Fátima, Marco
*Eguchi 54,49%* e 34.036 votos
Edmilson 45,51% e 28.430 votos

96ª zona
Bairros: Cremação, São Brás, Canudos, Terra Firme, Curió
*Edmilson 58,47%* e 44.888 votos
Eguchi 41,53% e 31.883 votos

29ª zona
Bairros: Condor, Guamá e Universitário
*Edmilson 60,86%* e 46.051 votos
Eguchi 39,14% e 29.611 votos

28ª zona
Bairros: Telégrafo, Sacramenta, Barreiro e Maracangalha
*Edmilson 52,98%* e 38.779 votos
Eguchi 47,02% e 34.411 votos

98ª zona
Bairros: Souza, Marambaia. Castanheira, Águas Lindas e Val-de-Cães
*Eguchi 54,74%* e 39.177 votos
Edmilson 45,26% e 32.395 votos

73ª zona
Bairros: Mangueirão, Bengui, Parque Verde, Cabanagem e Coqueiro
*Eguchi 52,44%* e 46.928 votos
Edmilson 47,56% e 42.554 votos

97ª zona
Bairros: Pratinha, Tapanã, Tenoné, Águas Negras, Agulha e Ponta Grossa
*Edmilson 52,36%* e 45.743 votos
Eguchi 47,64% e 41.617 votos

30ª zona
Bairros: Icoaraci, Outeiro, Mosqueiro e ilhas
*1° Edmilson 51,50%* e 42.858 votos
*2° Eguchi 48,50%* e 40.366 votos

APÊNDICE II - MAPA DA DISTRIBUIÇÃO DOS VOTOS POR ZONAS ELEITORAIS E BAIRROS A PARTIR DOS DADOS DO TRE-PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial