Porto Futuro recebe primeira fase do projeto de intervenção paisagística - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

sábado, 22 de agosto de 2020

Porto Futuro recebe primeira fase do projeto de intervenção paisagística


Governo do Estado e empresariado se uniram para o plantio no local de árvores do bioma amazônico

A primeira fase da intervenção paisagística no Parque Urbano Belém Porto Futuro foi iniciada neste sábado (22) com o plantio simbólico de 22 árvores. O ato teve a presença do governador Helder Barbalho; da secretária de Estado de Cultura, Ursula Vidal, e de representantes de entidades empresariais paraenses que contribuem com a arborização do espaço, aberto ao público na última quarta-feira (20). Ao som das melodias do Quarteto de Cordas Vicezzo e do Trio Andaluz, moradores da área e de outros bairros participaram da cerimônia e aprovaram a iniciativa do governo do Estado em parceria com o empresariado.

"As parcerias com as entidades e demais segmentos do nosso Estado permitem com que estejamos arborizando este espaço fantástico, que seguramente está adequado a nossa realidade, já que teremos uma qualidade e comodidade no ambiente. A arborização é a cara da nossa região. Nós temos que preservar a floresta e cultivar o verde", disse o governador, que fez o plantio simbólico de uma árvore de Pau Brasil.

Durante a cerimônia, Helder Barbalho também homenageou, com a entrega de placas, as entidades paraenses que contribuíram para a intervenção paisagística no Porto Futuro, doando espécies da flora amazônica.

Esta é a primeira fase do projeto de arborização do Parque Urbano, que está sob a gestão da Secult. No total, 180 espécies do bioma amazônico serão doadas ao novo espaço de cultura, lazer e turismo de Belém. A inciativa é coordenada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa), em cooperação com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Universidade Federal do Pará (UFPA), em parceria com mais de 20 entidades e associações empresariais.

Corredor de lazer - "Assim que nós abrimos o Parque essa parceria tomou forma com as 20 entidades empresariais que nos ajudaram nesse processo de arborização. Só estávamos esperando o repasse da CDP (Companhia Docas do Pará) para o Estado para fazermos essa intervenção importante. Nós sabemos que o Parque é um instrumento importante, e vai dar prosseguimento a esse corredor de lazer à beira do rio. Sabemos que as árvores são essenciais para garantirmos o maior tempo necessário de uso do Parque", destacou a secretária Ursula Vidal.

Moradora do bairro da Pedreira, em Belém, a dona de casa Ivete Queiroz, 46 anos, foi conhecer o espaço na tarde de hoje em companhia da família, e aprovou a estrutura construída pelo governo do Estado. "Achei bem bonito e amplo. É mais uma opção para os moradores de Belém. Agora vou esperar abrir os restaurantes também para fazer um novo passeio", disse Ivete.

A mesma opinião é compartilhada pelo estudante Rafael Almeida, 18 anos, que aproveitou a tarde do sábado para passear pelo local. "O espaço ficou mais bonito e interessante. As pessoas podem vir e passear. Vamos ter mais árvores, e a partir de agora vou vir sempre", afirmou.

Última parte das obras que compõem a primeira etapa do Projeto Porto Futuro, o Parque Urbano foi aberto ao público após a CDP repassar a gestão do espaço para o governo do Estado. O Parque funciona todos os dias, das 6 às 22 h. A expectativa é que 8 mil pessoas circulem pelo local diariamente.

Infraestrutura urbana - Com arquitetura inovadora, o Parque Urbano Belém Porto Futuro possui espaços para exposição de artesanato e shows, quiosques com opções de comidas e bebidas típicas, áreas para lazer infantil e centro de convenções. O projeto é composto por parque urbano, zonas de estacionamento, Praça Futuro, Praça General Magalhães (revitalizada) e outras obras periféricas, como a implantação de uma ponte para melhorar o tráfego nas imediações. Além disso, foram instalados bancos para descanso, paisagismo e pontos para uso de energia gratuita. Também há a preocupação com a segurança, que será garantida com um posto policial, gradil ao redor do parque e sistema de monitoramento.

Iniciado em março de 2018, o projeto foi uma proposição do Ministério da Integração Nacional, à época em que Helder Barbalho foi titular da pasta. Na primeira fase, está contemplada a construção de uma ponte sobre o canal da Avenida Visconde de Souza Franco (Doca); a abertura da Rua Belém, ligando a Avenida Pedro Álvares Cabral à Travessa Rui Barbosa; a criação de estacionamentos, praça gourmet e a reforma da Praça General Magalhães. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, foram investidos R$ 34,5 milhões na construção do Parque Urbano Belém Porto Futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial