Prefeito alagoano é preso por homicídio, portando pistola e um quilo de cocaína - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

sábado, 21 de dezembro de 2019

Prefeito alagoano é preso por homicídio, portando pistola e um quilo de cocaína

Leopoldo Pedrosa estava armando em bar e a droga foi encontrada em sua fazenda
Réu em ação penal decorrente de sua prisão por lesão corporal contra sua ex-mulher e ex-sogra, em 2017, o prefeito de Maribondo (AL), Leopoldo César Amorim Pedrosa (PRB), voltou a ser preso na tarde de ontem (20), com uma pistola e um quilo de cocaína. O flagrante do crime de porte ilegal de arma ocorreu em um bar de Arapiraca (AL), durante o cumprimento de mandado de prisão temporária contra o prefeito, pela acusação de homicídio. E a droga foi encontrada em sua fazenda, em Maribondo.

O delegado da Polícia Civil de Alagoas, João Marcello Almeida, afirmou que Leopoldo é suspeito de ter assassinado o corretor de imóveis Gerson Gomes Vieira, que teve o corpo encontrado na zona rural de São Miguel dos Campos, no interior de Alagoas, em 2015.

“O homicídio teria sido motivado em razão do suspeito não querer pagar verbas de corretagem”, disse o delegado, que flagrou Leopoldo com uma pistola calibre .380, sem registro.
Os delegados João Marcello Almeida e Gustavo Xavier coordenaram a operação com policiais do Tático Integrado de Grupos de Resgate Especial (TIGRE). E encontraram a droga avaliada R$ 50 mil, ao cumprir mandado de busca e apreensão na residência do prefeito, numa fazenda de Maribondo.

Também houve o flagrante de “vasto cadastro de eleitores”, que será alvo de investigação em outro inquérito policial.

Ficha policial
Leopoldo Pedrosa foi levado à Central de Flagrantes de Arapiraca, foi autuado pelos crimes e constatou-se passagens anteriores pela polícia, que o levaram a prisões por crimes de porte ilegal de arma de fogo, por dirigir embriagado e portar documento falso, além do crime enquadrado pela Lei Maria da Penha, que o levou a usar tornozeleira eletrônica.

Ao analisar, neste sábado (21) os novos autos de prisões em flagrante, a juíza Clarissa Oliveira Mascarenhas concluiu que não possui competência para a análise do caso. E determinou os envio dos autos, com urgência, ao Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL).

O delegado João Marcello informou que o prefeito Leonardo Pedrosa deve ser encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

O Diário do Poder não conseguiu contato com a defesa do prefeito.

Fonte:Diário do Poder

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial