Com investimento de R$ 7,5 milhões, Ministério do Turismo entrega obra no Maranhão - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

Com investimento de R$ 7,5 milhões, Ministério do Turismo entrega obra no Maranhão

Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, na cerimônia de entrega da revitalização e requalificação urbana do Complexo Ferroviário da cidade de Rosário (MA)
Localizado na cidade de Rosário, Complexo Ferroviário irá beneficiar moradores e turistas que visitam a região
A cidade de Rosário, porta de entrada para os Lençóis Maranhenses, conta com um novo e moderno ponto turístico e cultural. Isso porque, nesta sexta-feira (20), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, inaugurou a revitalização e requalificação urbana do Complexo Ferroviário de Rosário, símbolo do desenvolvimento social e econômico da região no século XIX. A obra contou com recursos do Ministério do Turismo, que somam R$ 7,5 milhões, e é uma das mais de 850 que já foram entregues pela Pasta em todo o Brasil neste ano.

Pela primeira vez no estado do Maranhão, o ministro Marcelo Álvaro Antônio parabenizou a população pela obra e destacou os avanços do turismo. "O turismo cresceu dia a dia ao longo do ano de 2019 e acredito que possa crescer ainda mais em 2020. Junto com o Iphan, vamos fazer um trabalho que irá proporcionar o aproveitamento dos patrimônios históricos do Brasil, conciliando a conservação e potencialidade", destacou o ministro.

Com a revitalização, o local trouxe mais espaços com exposições que contarão a história e apresentarão o Patrimônio Cultural de Rosário. Além disso, a população local e os turistas terão à disposição uma biblioteca, salas para o desenvolvimento de atividades administrativas, ateliês para realização de cursos, venda de produtos artesanais e um cinema/auditório com capacidade para até 83 lugares. Também faz parte da obra do Complexo Ferroviário a construção de um novo prédio, que já abriga as atividades da Secretaria Municipal de Agricultura.

A prefeita de Rosário, Irlahi Moraes, destacou a importância dessa parceria para o desenvolvimento turístico da cidade. "Hoje é um grande dia e de muita alegria com a inauguração desse complexo ferroviário. Esta parceria entre a prefeitura, Iphan, MTur e o governo federal teve como objetivo valorizar a nossa história e a nossa memória através da revitalização e valorização desse local. O complexo confirma a importância da nossa tão amada Rosário e um marco de desenvolvimento do estado do Maranhão. Esta é uma grande conquista, este prédio constitui o principal espaço cultural para os turistas que aqui passam", afirmou a prefeita.

A infraestrutura da cidade também foi beneficiada com a obra, já que foi construída uma rede de drenagem pluvial, asfaltamento da Rua Eurico Macedo, execução de calçadas e remodelação da área na esplanada, criando um conjunto de praças, onde foram incluídas as estruturas de um coreto e um anfiteatro. Além do ministro do Turismo, a cerimônia contou ainda com a participação do presidente substituto do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Robson de Almeida; do superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary; e da prefeita de Rosário, Irlahi Moraes.

COMPLEXO FERROVIÁRIO - Inaugurada em 1º de junho de 1919, a Estação de Rosário faz parte da Estrada de Ferro São Luís-Teresina e foi idealizada para ser uma estação intermediária, mas, por mais de 10 anos, funcionou como estação terminal para os trens que circulavam entre Rosário e a cidade de Caxias. Assim, a ponte passou a ligar por via férrea o continente à ilha de São Luís e, consequentemente, à Estação João Pessoa na capital maranhense.

A edificação da Estação de Rosário foi concebida com dois pavimentos no corpo principal, onde se exerciam as funções administrativas, de venda de passagens e sala de espera. Sua implantação corresponde à porção central da esplanada em que se distribuem os demais prédios do complexo. O mais próximo dela é o armazém, com planta em formato retangular e telhado em duas águas, apresentando plataforma de carga e descarga pela linha férrea.

Um pouco mais distantes, as oficinas de manutenção eram originalmente duas e foram dispostas lado a lado, com a ferrovia passando entre elas. Estas edificações, verdadeiras naves industriais, comportavam as atividades de serralheria e carpintaria e apresentavam planta retangular e aspecto interior diáfano, sendo construídas com tijolos maciços, estrutura de cobertura com tesouras metálicas e telhas francesas. Trens de passageiros rodaram pela linha e fizeram uso da estrutura do complexo ferroviário de Rosário até o ano de 1991.

Edição: Cecília Melo 
Com informações do IPHAN, Victor Maciel
Crédito: Roberto Castro/MTur 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial