Cinema africano e mostra dedicada a Luis Buñuel são atrações no Olympia em novembro - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Cinema africano e mostra dedicada a Luis Buñuel são atrações no Olympia em novembro

O mês de novembro no Cinema Olympia está repleto de atrações, com destaque para a Mostra de Cinema Africano e outra em homenagem ao cineasta espanhol Luis Buñuel, e conta também com as atrações permanentes da casa, como o projeto Cinema & Música e o Curta Olympia. A entrada é gratuita.

Até quarta-feira, dia 6, o cartaz no cinema é o filme “Para Ter Onde Ir”, direção da cineasta paraense Jorane Castro. É produção paraense da melhor qualidade.

Entre os dias 7 e 13, dentro do projeto Curta Olympia, a atração é “Sala de Jantar”, que tem classificação indicativa de 14 anos.

No período de 7 a 11 de novembro, cartaz para o filme “Apenas uma Pessoa Normal”, produção da Suécia, com direção de Malin Björkman-Widell. O filme é um documentário sobre o direito de todos serem quem realmente são. A trama mostra as gêmeas Isabelle e Denise, que nasceram 22 anos atrás. Desde a infância, Isabelle sabia que era diferente do resto das meninas, e, no fundo, sempre soube que é um menino nascido no corpo de uma menina, e, alguns anos depois, ela mudou seu nome para Sam. A classificação indicativa é de 14 anos, e exibição tem apoio da Embaixada da Suécia.

Cinema & Música - No dia 12, dentro do projeto Cinema & Música, atração que exibe filmes mudos, com acompanhamento, ao piano, ao vivo, de Paulo José Campos de Melo, será exibido a produção de 1928, “O Rio da Vida”, direção de Frank Borzage. O filme mostra Rosalee, uma mulher da cidade, que está sendo constantemente vigiada por um corvo, enviado por amante ciumento e possessivo dela. Mas isso não a impede de conhecer e se apaixonar por um jovem de bom coração. A classificação indicativa é de 14 anos.

Consciência negra - No dia 13, às 15 horas, haverá uma sessão especial “Cinema Negro pelo Dia da Consciência Negra”.

Africano - Entre os dias 14 de 20 de novembro, cartaz para a II Mostra de Cinema Africano, com filmes de longa e curta metragens. As exibições têm apoio da Casa da África/UFPA.

Na abertura da mostra, no dia 14, o filme é “Lumumba”, direção de Raoul Peck. Em janeiro de 1961, a noite na savana africana é marcada pela cena macabra de dois homens brancos, bêbados, que tentam desaparecer com três corpos embrulhados em sacos sujos de sangue. Os cadáveres são de Patrice Lumumba, primeiro ministro do Congo, que acabara de ser assassinado, assim como Maurice Mpolo e Joseph Okito. Ao mesmo tempo, ficção e documento histórico, “Lumumba” compõe um belo retrato de um dos heróis da independência do Congo. A classificação indicativa é de 16 anos

No dia 15, às 16h30, serão exibidos curtas sobre a migração africana contemporânea. Os filmes são “Barcelona ou a Morte” (49 minutos); “Atlânticos” (15 minutos) e “Mãe(s)” (20 minutos). A classificação é livre.

No dia 16, continua a exibição de curtas com “Salvaterra, Terra de Negro” (52 minutos) e “Pequena Luz” (uma comédia dramática, com 15 minutos). A classificação é livre.

No dia 17, cartaz para “Minga e a Colher Quebrada”, uma animação dirigida por Claye Edou. Minga é uma menina órfã que vive com sua madrasta Mami Kaba e sua meia-irmã Abena. Um dia, ela acidentalmente quebra uma colher. A madrasta, furiosa, a expulsa de casa, e pede que Minga encontre o caminho de volta, na floresta. A classificação é livre.

No dia 19, o filme é Turbulence”. Alertado por um pássaro misterioso, chamado de o caçador, um predador, gradualmente, vai se convencendo de que ele mesmo é vítima de um sistema invisível de predação. Em um estranho planeta onde goblins travessos acabam de pegá-lo, ele acaba tomando a decisão de tentar emigrar para sair daquele estranho local. A classificação indicativa é livre.

Encerrando a Mostra de Cinema Africano, no dia 20, a atração é "Félicité", direção de Alain Gomis.  Félicité é uma cantora da noite de um bar em Kinshasa. A vida dela muda quando o filho de 14 anos sofre um acidente de moto. Para salvá-lo, ela embarca em uma corrida frenética pelas ruas de uma Kinasha elétrica, em um mundo de música e sonhos. A classificação indicativa é livre.  

Mostra Buñuel - A partir do dia 21 de novembro, seguindo até 4 de dezembro, o Cine Olympia recebe uma mostra de filmes do consagrado diretor espanhol, mas naturalizado mexicano, Luis Buñuel. Com um modo de fazer cinema, focado no subconsciente e na irracionalidade humana, Buñuel foi um dos precursores do movimento artístico universalmente conhecido como surrealismo.

As críticas à sociedade burguesa e católica de sua época fazem parte da trajetória cinematográfica do diretor. Com mais de 30 filmes ao longo de 50 anos de carreira, o cineasta é aclamado pela crítica e inspiração para grandes cineastas, como o conterrâneo Pedro Almodóvar e o norte-americano David Lynch, ele foi um dos maiores expoentes do cinema europeu do século XX.

Serão 12 filmes assinados por esse diretor, que serão exibidos, pela ordem, “Viridiana”, “O Alucinado”, “A Ilusão Viaja de Trem”, “Subida ao Céu”, “Ensaio de um Crime”, “Escravos do Rancor”, “Diário de uma Camareira”, “Os Discreto Charme da Burguesia”, “Nazarin”, “Os Esquecidos”, “Tristana” e “O Fantasma da Liberdade”.   

Filmes - Na estreia da mostra, o filme é “Viridiana” (de 1961). A noviça Viridiana (Silvia Pinal) faz uma visita ao seu tio moribundo, atendendo a um pedido dele. O pervertido homem, obcecado pela beleza da jovem, tenta seduzi-la de todas as formas. Ele morre e Viridiana decide não mais voltar ao convento e transforma a antiga casa do tio num abrigo para necessitados e moradores de rua. A classificação indicativa é 16 anos.

No dia 22, o filme é “O Alucinado” (de 1963). Francisco mantém uma imagem de homem tranquilo, conservador e religioso. Durante uma missa, conhece Glória, noiva de um amigo. Em pouco tempo, consegue separá-los e casar-se com a jovem. Depois do casamento, passa a ser um homem paranoico, ciumento e atormentado. O filme é considerado pela crítica mundial como uma das obras máximas de Buñuel. Inclusive, o próprio cineasta costumava afirmar que este era um dos seus trabalhos favoritos.  A classificação indicativa é 16 anos

A atração do dia 23, é “A Ilusão Viaja de Trem” (de 1954). O motorista Caireles e o condutor Tarrajas descobrem que serão aposentados. Chateados com o fato, embriagam-se numa festa natalina na vizinhança. Encorajados pela bebida, vão a uma garagem de bondes e apoderam-se do bonde 133, com alguns passageiros. A classificação indicativa é 14 anos.

No dia 24, exibição de “Subida ao Céu” (de 1952). A lua de mel de um jovem casal é interrompida quando o homem descobre que a sua mãe ficou doente em casa. O filho retorna para a casa da mãe e descobre que seus irmãos já estão discutindo sobre a herança. Em uma viagem de ônibus até outra cidade, para pegar o testamento da mãe, o jovem recém-casado se depara com alguns imprevistos. A classificação indicativa é 14 anos.

Dia 26, cartaz para “Ensaio de um Crime” (de 1955). Archibaldo é presenteado na infância com uma caixinha de música que, pretensamente, lhe daria poderes para eliminar seus inimigos. Coincidentemente, assiste à morte de sua ama enquanto testa os poderes da caixa e atribui o feito aos poderes desta. Adulto, marcado pelo episódio, confessa ao chefe de polícia seus crimes, apresentando-se como um serial killer. A classificação indicativa é 14 anos

No dia 27, a atração é “Escravos do Rancor” (de 1954). O filme é uma adaptação do romance “O Morro dos Ventos Uivantes”. No México rural do século XIX, Alejandro reencontra Catalina, o grande amor de sua vida, casada com um rico latifundiário. Loucamente apaixonado, propõe a Catalina que fujam juntos, mas ela se nega. Então, Alejandro cai nos braços de Isabel, mas não encontra consolo. Seu destino parece estar ligado, tragicamente, ao de Catalina. A classificação indicativa é 14 anos

No dia 28, o filme em cartaz é “O Diário de uma Camareira” (de 1964). Celestine (Jeanne Moreau) é uma camareira que conseguiu uma ocupação no campo, trabalhando para a família Monteil, que tem certas peculiaridades. A patroa de Celestine, madame Monteil (Françoise Lugagne), é frígida, e marido dela (Michel Piccoli) está sempre caçando animais ou mulheres. O pai de madame Monteil tem um fetiche por sapatos femininos. Além de Joseph (Georges Géret), um trabalhador da região, que se sente atraído por Celestine. A classificação indicativa é 14 anos,

Um dos filmes mais famosos de Buñuel é “O Discreto Charme da Burguesia” (de 1972), que será exibido no dia 29. Um embaixador rico (Fernando Rey) e um grupo de amigos burgueses se reúnem para jantar, mas a anfitriã (Stéphane Audran) estava esperando por eles em uma noite diferente. O grupo, então, tenta jantar em um restaurante, e encontram os garçons de luto pela morte repentina de seu gerente. Logo fica claro que o grupo sofisticado está fadado a ter a sua refeição interrompida por ocorrências cada vez mais bizarras.

No dia 30, cartaz para “Nazarin” (de 1959). O padre Nazarin (Francisco Rabal) tenta viver de forma honesta, segundo os princípios cristãos. Humilde, porém idealista, ele acaba abrigando Andara (Rita Macedo), uma prostituta que está fugindo da polícia e eles são obrigados a sair da cidade. Beatriz (Marga López), uma jovem desiludida e amiga de Andara, os segue. Em sua peregrinação, o padre segue com suas atitudes cristãs, mas elas acabam provocando efeitos totalmente opostos. A classificação indicativa de 14 anos.

Dezembro - A Mostra Luis Buñuel segue em dezembro com os filmes “Os Esquecidos”, no dia 1º; “Tristana”, no dia 3; e “O Fantasma da Liberdade”, no dia 4, filme que encerra a mostra. As sessões no Cine Olympia são às 18h30, de terça à sexta-feira; e às 16h30, aos sábados, domingos e feriados. A entrada é gratuita.

Texto:
Dedé Mesquita

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial