Espetáculo "99 quase 100 de Ruy Barata" abre oficialmente o centenário do poeta - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Espetáculo "99 quase 100 de Ruy Barata" abre oficialmente o centenário do poeta

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) vai comemorar Dia
Estadual da Poesia, celebrando os 100 anos de um dos maiores compositores paraenses:
Rui Guilherme Paranatinga Barata, ou simplesmente Ruy Barata. As cantoras Andréa Pinheiro e
Renata Del Pinho se debruçaram no repertório do poeta para mostrar nesta terça-feira (25), às
20h, no Teatro Gasômetro, uma retrospectiva da criação musical de Ruy Barata e seus
parceiros, especialmente seu mais constante, seu filho Paulo André Barata. O Show "99 quase
100 de Ruy Barata" é parte integrante do Centenário Ruy Barata.
O espetáculo, com clima intimista dos pubs e teatros dos anos 1980, tem direção musical e
arranjos de Kim Freitas, acompanhamento da Banda Pauapixuna, com Davi Amorim, João
Bererê e Ney Rocha e a dupla vocal composta por Andréa e Renata, que cantam pela primeira
vez juntas em teatro.
Consideradas por quem entende de música como duas das vozes mais bonitas do Pará, o
encontro no mesmo palco, em solos e duetos, festeja a dupla de compositores que escreveu
clássicos da Música Popular Brasileira (MPB) como o bolero “Foi assim”, a canção
“Pauapixuna”, o merengue caribenho “Porto Caribe”, que diz “Eu sou de um país que se chama
Pará”, o carimbó “Este rio é minha rua”, entre muitos outros.
“Colocamos no show canções que contam, sem ordem cronológica ou linear, a concepção de
uma das mais ricas obras populares sobre o Pará e a Amazônia, traduzidas numa linguagem
universal”, diz Andréa. “As letras de Ruy e as melodias de Paulo André se encaixam com
precisão como se uma não pudesse viver separada da outra”, afirma Renata.
Grande parte das músicas de Paulo André e Ruy Barata tem gravações nacionais e
internacionais. Foram trilhas de novelas, clipes no Fantástico e tocam regularmente nas rádios
brasileiras e estrangeiras, nas vozes de vários intérpretes. Ao longo do tempo, mereceram da
crítica declarações como a de Tárik de Souza. “Paulo André e Ruy Barata são dois especialistas
em versos de contundentes imagens”. Ou a do falecido jornalista Paulo Alberto, mais
conhecido como Artur da Távola. “As músicas e as letras nos trouxeram a beleza e a doçura
dos rios, das lendas, dos botos, dos igarapés, do Indauê Tupã, dos pixés, dos limos de maresia,
das proas e canoas, palavras que, além de lindas, simbolizam a cultura brasileira”.
“Vamos mostrar tudo isso e muito mais, porque estão no repertório canções urbanas menos
conhecidas do grande público, mas de rara beleza”, diz Kim Freitas, o diretor musical. “Paulo
André e Ruy Barata são dois ícones da música do Pará, seus talentos atravessam fronteiras.
Estarão em qualquer livro ou compêndio que fale sobre a música popular brasileira”, arremata
Davi Amorim, da Banda Pauapixuna.
No ano passado, o jornalista, escritor e crítico musical Ruy Castro, autor de dezenas de livros
sobre a MPB, ao reler a obra poética e as letras de Ruy Barata, escreveu o seguinte: “Um dia,
um amigo, Fernando Pessoa Ferreira, me apresentou à poesia de Ruy Barata. Depois, sabendo
que eu iria a Belém, insistiu para que eu conhecesse o poeta. Dois motivos pelos quais
Fernando foi o maior amigo que tive na vida”. Recentemente, o também escritor, poeta e
letrista Paulo Sérgio Valle, parceiro do irmão Marcos Valle e de outros compositores em mais
de mil canções, escreveu: “Ruy Barata é, sem dúvida, um dos melhores letristas do Brasil. Sem
perder o conteúdo emocional, suas letras têm sempre a palavra exata e a sonoridade
condizente com a melodia. Ruy tornou grande o difícil ofício de letrar músicas”.

Ruy morreu em 1990, mas seu legado poético continua a inspirar música, cinema, teatro,
vídeos, trabalhos escolares, teses, danças, pinturas, esculturas e diversas manifestações
políticas e culturais em todo o Pará.
Programação - Como parte das comemorações alusivas ao centenário de Ruy Barata, a Secult
preparou uma programação especial:
Mesa redonda Ruy Barata em Cinco Vozes
Participantes: Amarílis Tupiassu, João de Jesus Paes Loureiro, Lilia Chaves, Marinilce Coelho e
Paulo Nunes.

Local: Auditório da Casa das Artes
Hora: 9h
Workshop Caricaturas e Ilustrações
Participantes: Biratan Porto e J. Bosco Azevedo
Local: Auditório da Casa das Artes
Hora: 15h
Reunião festiva em volta da estátua de Ruy - Saudação ao Dia da Poesia e Abertura das
comemorações do Centenário Ruy Barata
Local: Parque da Residência
Hora: 19h
Serviço:
O espetáculo"99 quase 100 de Ruy Barata acontece no dia 25 de junho (terça-feira), às 20h,
no Teatro Gasômetro, no Parque da Residência (Av. Governador Magalhães Barata, 830). A
classificação é livre, a programação é gratuita e a realização é do Governo do Pará, por meio da
Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Informações: (91) 4009-8474.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial