Visita técnica mostra que novo Hospital Abelardo Santos está pronto para funcionar - JORNAL PASSAPORTE

ULTIMAS

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Visita técnica mostra que novo Hospital Abelardo Santos está pronto para funcionar

  O governador Simão Jatene fez neste domingo (30), às 11 h, uma visita técnica às instalações do novo Hospital Abelardo Santos, no Distrito de Icoaraci, na Região Metropolitana de Belém. Como fez em Capanema (nordeste do Pará), no novo Hospital Regional dos Caetés, o governador convidou pessoas da comunidade para acompanhá-lo na visita. O objetivo foi mostrar à população que o hospital está pronto para ser inaugurado. "Alguns pequenos detalhes, obrigatórios para a entrada em funcionamento de qualquer hospital, ainda precisam ser feitos, como a assepsia dos ambientes e a calibragem dos equipamentos. Mas o ‘Abelardo’ está pronto, e já é o maior hospital da Região Metropolitana", disse o governador.
Simão Jatene percorreu quase todas as salas, das mais simples (consultórios e ambulatórios) às mais complexas (UTIs e centros cirúrgicos), acompanhado de centenas de pessoas, e explicou, com a ajuda de médicos e enfermeiras, o objetivo de cada espaço e o funcionamento dos aparelhos. Além de moradores de Icoaraci e áreas próximas, participaram da visita todo o secretariado estadual, dirigentes de órgãos governamentais e futuros funcionários do “Abelardo Santos”.

Nos próximos dois dias, a população continuará tendo acesso às dependências do hospital, com visitas monitoradas. “Nenhum hospital funciona assim que é inaugurado ou entregue. Por isso, seremos um hospital assim que começarmos a salvar vidas”, informou o diretor Operacional do Hospital Abelardo Santos, Rogério Kuntz. “Mesmo ainda sem funcionar, o que deve ocorrer dentro de 10 ou 15 dias, o novo ‘Abelardo Santos’ já é uma referência positiva para a Região Metropolitana de Belém; um hospital moderno, bem equipado e destinado a ser um dos grandes hospitais do Brasil”, garantiu o secretário de Estado de Saúde Pública, Vitor Mateus.

O prédio possui 10 andares e capacidade para beneficiar cerca de 1,2 milhão de pessoas. O hospital vai oferecer diversas especialidades, como clínica pediátrica, cirúrgica, médica e de traumatologia, terapia renal, unidade de transplante, maternidade, Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) infantil e adulto, centro cirúrgico com oito salas, laboratório de análises clínicas, serviço de reabilitação e centro de diagnóstico por imagem, que fará exames mais completos de mamografia, ressonância magnética e tomografia computadorizada.

De alta complexidade, o novo hospital conta com 269 leitos, sendo 150 leitos de internação, 90 leitos de UTI E UCI (Unidade de Cuidados Intermediários) - que ocupará um andar inteiro -, cinco leitos de PPP (pré-parto, parto e puerpério) da Rede Cegonha e 24 leitos de observação de urgência/emergência.

A partir do perfil assistencial estabelecido, já estão contemplados ambientes e serviços referentes ao Programa da Rede Cegonha, neonatologia completa - com UTI e UCIs, UTIs adulto e pediátrica, Banco de Leite Humano, centro cirúrgico/obstétrico e unidades de internação pediátrica e obstétrica.

Transformação - Além dos futuros pacientes, o novo hospital já começou a mudar a vida dos moradores de Icoaraci. “Eu sou feirante há muitos anos na rua aqui ao lado do hospital”, disse Arlete Lima, moradora do bairro da Agulha. “Com a construção do hospital um novo espaço para a feira, com boxes padronizados, foi criado atrás do prédio, e com isso nós saímos da rua, onde sempre havia o perigo do ônibus atropelar a gente”, disse Arlete Lima.
“Quero deixar bem claro que o novo ‘Abelardo Santos’ é 100% SUS (Serviço Único de Saúde). Ninguém vai pagar nada para ser atendido aqui”, ressaltou o governador Simão Jatene. “Essa visita de hoje mostrou que o hospital está pronto, terminado e pode funcionar assim que as medidas de assepsia e acerto dos equipamentos forem tomadas. A população que nos acompanhou pôde comprovar isso”, concluiu o governador.

Inovação - O novo Hospital Regional Abelardo Santos abrigará o Centro de Referência Estadual em Pacientes de Fissura Labiopalatal. Será implantada uma Câmara Técnica para discutir o protocolo de atendimento a esse tipo de paciente no Pará.

O “Abelardo Santos” faz parte da política de descentralização do atendimento de urgência e emergência no Estado. Uma rede hospitalar foi montada, ao longo de oito anos, com o objetivo de melhorar o acesso da população aos serviços médicos de média e alta complexidade.

Hospitais Regionais Estaduais no Pará

1. Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) – em Ananindeua: É um estabelecimento de saúde de média e alta complexidade para atendimento de urgência e emergência em trauma e referência no tratamento a queimados na Região Norte do Brasil, sendo formador de profissionais de saúde.

2. Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) – em Belém: Unidade de baixa e média complexidade, é retaguarda no atendimento em traumato-ortopedia, clínica médica e cardiologia.

3. Centro Hospitalar Jean Bitar – em Belém: Com modernas instalações e serviços de alta e média complexidade, a unidade é referência estadual no procedimento de cirurgia bariátrica e endoscopia digestiva, além de manter o Laboratório de Habilidades Videolaparoscópicas da região.

4. Hospital Regional do Baixo Amazonas do Pará (HRBA) – em Santarém: Presta assistência de excelência em saúde de média e alta complexidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), promovendo o ensino e pesquisa, comprometido com humanização, segurança, qualidade, sustentabilidade, responsabilidade social e respeito aos princípios éticos e culturais.

5. Hospital Regional Público da Transamazônica – em Altamira: Na região oeste do Pará, o HRPT foi idealizado e concebido para prestar atendimento humanizado e de qualidade em média e alta complexidades ao usuário referenciado pelo SUS.

06. Hospital Regional Público do Sudeste – em Marabá: Tem perfil de atendimento de média e alta complexidade com ênfase em neurocirurgia, traumatologia, ortopedia e cirurgia geral.

7. Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves: Oferece atendimento de média e alta complexidade, inclusive com maternidade, além de atendimento clínico de endemias.

8. Hospital Geral de Tailândia (HGT): Atendimento de média e baixa complexidade.

09. Hospital Regional Público do Leste do Pará, em Paragominas: Perfil de média e alta complexidade. Com base de atendimento para a área neurológica.

10. Hospital Regional de Cametá: Atendimento de média e alta complexidade.

11. Hospital Regional de Tucuruí (HRT): É o único que oferece atendimento em Urgência e Emergência na Região do Lago de Tucuruí.

12. Hospital Regional de Conceição do Araguaia (HRCA): É referência em tramato-ortopedia, tendo como destaque a cirurgia corretiva do pé torto congênito e outras cirurgias ortopédicas, como de tíbia, fêmur e cirurgia de quadril.

13.  Hospital Regional de Redenção (HRPA): É referência em traumato-ortopedia e neurocirurgia para 15 municípios da Região do Araguaia, beneficiando uma população de mais de 500 mil habitantes. Outros importantes serviços oferecidos à população estão na área de nefrologia, com transplante de rim intervivo e Terapia Renal Substitutiva.

14. Hospital Regional de Salinópolis: De média complexidade, dispõe de 45 leitos e oferece atendimento de urgência e emergência 24 horas, com serviços de obstetrícia, urologia, ortopedia, cardiologia, clínica cirúrgica e médica e exames de laboratório, de ultrassonografia e eletrocardiograma. Além da população local, o hospital atende pacientes de municípios próximos, como Santarém Novo, Santa Luzia do Pará, São João de Pirabas, Primavera e Quatipuru.

15. Santa Casa de Misericórdia do Pará – em Belém: É a maior maternidade neonatal do Norte do Brasil. No dia 16 de setembro de 2013 foi inaugurado o novo prédio da instituição: a Unidade Materno-Infantil Dr. Almir Gabriel. Também conhecido como Nova Santa Casa, o complexo tem oito andares, com leitos distribuídos nas alas de pediatria, neonatologia, UTI materna e pediátrica, maternidade, Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), ala para o Programa Mãe Canguru e acolhimento obstétrico.

16. Hospital Ophir Loyola (HOL) – em Belém: Referência no tratamento oncológico, o hospital tem o objetivo de oferecer atendimento médico de excelência em tratamento do câncer. Também executa um trabalho de ensino, pesquisa e extensão, como forma de qualificar profissionais e estabelecer apoio e incentivo à pesquisa e produção científica na instituição.

17. Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV) – em Belém: É referência estadual em psiquiatria, cardiologia e nefrologia, com excelência. O Hospital de Clínicas tem como missão garantir atendimento ambulatorial e hospitalar de média e alta complexidade, e apoiar o ensino e a pesquisa na área de saúde.

18. Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo – em Belém: Primeiro hospital público da Amazônia especializado no tratamento de câncer para crianças e adolescentes. Presta atendimento de qualidade completo na área de oncopediatria infantil.

19. Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB): Conta com 65 leitos, sendo 10 de UTI Adulto, 10 de UTI Neonatal e 10 de UCI Neonatal. O hospital prestará serviços essenciais para gestantes e recém-nascidos, incluindo partos de alto risco.

20. Hospital Geral de Ipixuna (HGI): Inaugurado em outubro de 2018, oferece assistência de baixa e média complexidade aos usuários do SUS de 23 municípios da Região do Capim, no nordeste paraense, o equivalente a uma população estimada em 800 mil habitantes.

21. Hospital Materno-infantil de Capanema: O hospital terá capacidade para assistir 500 grávidas ao mês, desde a atenção básica a casos de alta complexidade, oferecendo serviços semelhantes aos da Santa Casa de Misericórdia do Pará, referência no atendimento a grávidas e parturientes.

Também compõem a rede estadual de saúde o Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), em Belém, que presta assistência de média e alta complexidade a pessoas com deficiência (PcD) de todas as faixas etárias, e a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia Dr. Vítor Moutinho (Unacon), em Tucuruí, que ampliou o atendimento para uma população estimada em 1,8 milhão de habitantes.


Texto: 
Pascoal Gemaque

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial