ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assinada ordem de serviço para obras do BRT Metropolitano

 Governo do Estado, Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) e Embaixada do Japão no Brasil assinaram no final da tarde desta sexta-feira, 7, a Ordem de Serviço que marca o início das obras na Rodovia BR-316. As obras iniciam já na próxima segunda-feira, 10. Com projeto arrojado, que trará grande reforma estrutural para a entrada da capital paraense, desde a rede de drenagem até os chamados retoques finos, como paisagismo e moderna rede de iluminação pública em LED, o projeto abrange os municípios de Belém, Ananindeua e Marituba, em 10,8 km de extensão.

As obras de reconstrução e requalificação incluem pistas com três faixas de rolagem nos dois sentidos, com pavimento flexível, uma faixa (em cada sentido) exclusiva para o BRT Metropolitano, duas ciclovias bidirecionais, gramado próximo à ciclovia para arborização, dois passeios para circulação de pedestres com 2,5m de largura, faixa de piso tátil e rampas de acessibilidade, de acordo com a legislação vigente, além de mobiliário urbano (bancos, lixeiras e abrigos em paradas de ônibus convencionais).
O governador Simão Jatene destacou que acompanhou o início das discussões do grande projeto de mobilidade urbana na década de 1980, quando ainda era técnico. Ele ressaltou o papel da parceria do Governo japonês, que defendeu esta intervenção com garra e persistência. “O projeto prova que Japão e o Pará tem mais semelhanças do que diferenças”, comentou.

O governador ainda detalhou que a obra dará prioridade a construção das passarelas para facilitar a vida das pessoas. “Nesses projetos nós já investimos aproximadamente 600 milhões de reais, nisso tudo incluídas as obras da Independência, da João Paulo II e da revitalização da Mário Covas e do prolongamento da Perimetral. Os recursos já estão em caixa há mais de dois anos e nós tivemos que aguardar que o Governo Federal nos autorizasse a começar a licitar a obra para realiza-lá”.  Ele ainda destacou que todos os investimentos se aproximam de 1 bilhão de reais.

O embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, também falou da parceria de seu governo com o estado do Pará, que possui a terceira maior colônia japonesa no Brasil. “Neste ano de 2018 a parceria foi muito positiva para os nossos governos, pois aqui comemoramos os 110 anos da imigração japonesa e o Pará ainda recebeu visita da Princesa Mako do Japão”, destacou.

Ele ainda ressaltou que o BRT Metropolitano irá beneficiar o meio ambiente diminuindo a emissão de poluentes através da melhora do tráfego e redução do aquecimento global. “Para nós é muita alegria contribuir com a melhora da vida da população local e com a melhora do meio ambiente mundial”, falou.

Para o diretor-geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), Cesar Meira, este é um conjunto de ações que visam modernizar a BR-316 de uma rodovia antiga para uma avenida moderna. “Para isso priorizamos a construção das passarelas para provocar o mínimo de transtornos possíveis à população".

O representante da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) no Brasil, Sr. Akio Saito, falou que a parceria da Jica com o estado do Pará tem desenvolvido inúmeros projetos que garantem a qualidade de vida da população no estado, entre eles projetos de educação ambiental na Amazônia Oriental, projetos de desenvolvimento da produção comunitária no estado. “O BRT Metropolitano irá fazer com que as pessoas passem menos tempo no trânsito e mais tempo com suas famílias”, comentou.

A executora da obra é a empresa Odebrecht Engenharia e Construção, com capacidade técnica reconhecida nacional e internacionalmente por realizar importantes obras de infraestrutura no Brasil e no mundo. De acordo com André Araújo, gerente de contrato da empresa, todo o processo licitatório foi acompanhado por órgãos de fiscalização e controle, o que também acontecerá ao longo da execução do projeto, e foi realizado dentro das normas legais vigentes. "A qualidade do edital utilizado pelo Governo do Pará certamente dará à população um equipamento moderno e seguro ao fim do período das obras”, destacou.

BRT

Dentro da perspectiva de promover a requalificação da BR-316, num perímetro de 10,8 km, dentro do limite que foi delegado ao Estado, utilizados diariamente por milhares de moradores da RMB, também haverá intervenção para instalação das pistas exclusivas do Bus Rapid Transit (BRT Metropolitano), das estações e passarelas ao longo do atual canteiro central da via. Fazem parte também desse projeto, dois terminais do BRT e o Centro de Controle Operacional (CCO).

O Centro e o Sistema de Controle Operacional serão construídos e instalados em prédio novo, exclusivamente destinado a essa função, e abrigarão mão-de-obra qualificada, equipamentos e sistemas eletrônicos para rede de comunicações (incluindo sistemas para monitoramento de segurança), bloqueios de acessos a estações e terminais, painéis de mensagens, controles de portas automáticas e contagem de passageiros, além de centralizar o controle dos semáforos. Essa estrutura vai gerir todo o Sistema de Controle Operacional do BRT, ou seja, o Metropolitano e o Municipal.

Para resolver a recorrente questão dos alagamentos serão construídos dispositivos de drenagem necessários para coleta e condução dos efluentes, como sarjetas, bocas de lobo, caixas de inspeção e passagem, e tubulação de drenagem profunda, com diâmetros entre 800 mm e 1.500 mm, para lançamentos do sistema de drenagem nas vias secundárias adjacentes à Rodovia BR-316.

Sistema Complementar

O projeto prevê, ainda, construção de quatro túneis de acesso subterrâneo aos terminais e o viaduto de Ananindeua, que permitirá a ligação direta entre as áreas ao sul da BR, como conjunto Julia Seffer e Aurá à Cidade Nova. Para a construção desse sistema complementar serão destinados recursos na ordem de 80 milhões de reais (equivalente a 15% do total licitado), também contemplados pelo financiamento da Jica.

Para garantir fluidez e segurança do trânsito foi necessária a concepção de passagens subterrâneas para acesso aos Terminais de Ananindeua e Marituba, e viaduto sobre a Rodovia BR-316, facilitando o acesso dos ônibus do BRT da pista central aos terminais, e interligando a área do Terminal de Ananindeua e a pista de pavimento flexível da BR-316 às vias da malha atualmente existentes.

O novo sistema de transporte urbano reduzirá em cerca de 50% o tempo de viagem do destino ao centro de Belém e vice-versa. O ponto inicial do BRT será o Terminal Marituba, localizado no KM-10,7 da Rodovia BR-316, próximo à Alça Viária, e permitirá a integração das linhas alimentadoras que vêm de Marituba. Já em Ananindeua o terminal ficará no KM-6,5 da rodovia, em frente à sede campestre da AABB (Associação Atlética Banco do Brasil). Nesses terminais serão ofertados serviços à população, como o “Navega Pará”, com acesso gratuito à internet sem fio (Wi-Fi), e a “Estação Cidadania”, com serviços de vários órgãos públicos.

Texto: 
Márcio Flexa

Nenhum comentário