ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Patrimônio Cultural da Humanidade no Sul do Brasil

A cada dia que passa a região que é a única Patrimônio Cultural da Humanidade no Sul do Brasil tem tido maior importância na formação do produto turístico do Brasil e obviamente do Rio Grande do Sul. A promoção mundial brasileira tem levado como  prioridade as imagens dos produtos ícones que a UNESCO chancela dentro de nossa pátria, demonstrando um novo momento nacional quanto a imagem brasileira nos grandes eventos mundiais do turismo.

Dentro do território nacional, especialmente quando usados os canais televisivos temos visto sequentemente a promoção do Patrimônio Mundial de São Miguel como símbolo do turismo cultural brasileiro.

Neste viés a cada dia torna-se mais importante que posts (matérias) se façam demonstrando o ocorrido nestes rincões: Conhecer as Missões é descortinar uma das mais emocionantes histórias da humanidade ocorrida no Sul do Brasil e nas áreas fronteiriças do MERCOSUL.
Entre 1609 e 1768 Padres Jesuítas e índios Guaranis construíram um novo modelo de convivência social reconhecido pelos principais escritores do Mundo: Voltaire afirmou que o projeto Jesuítico-Guarani foi um “triunfo da humanidade”. Montesquieu chamou de “primeiro estado industrial da América”. Os próprios Jesuítas na Europa chamaram como “a realização ideal do cristianismo”. O filósofo Rayal afirmou que “O mundo novo que estamos procurando realizar não pode menosprezar a lição fornecida”. Entre centenas de escritores históricos, o atual Rafael Carbonell de Masy, diz que é chegada a hora de resgatar a verdade sobre a origem da primeira cooperativa no mundo, surgida em 1627, nas Reduções Jesuítico-Guarani.

Os principais artigos exportados pelas reduções eram a erva-mate, o fumo, o algodão, o açúcar, os tecidos de algodão, os bordados, as rendas, os objetos trabalhados em torno, mesas, armários, e baús de madeiras preciosas, esculturas, peles, curtumes e arreios de couro, rosários e escapulários, mel, frutas de todas as espécies, cavalos, mulas, e carneiros, assim como e excedente de diversas indústrias, como a de instrumentos musicais. Todos eram vendidos à Europa, Corrientes, Santa Fé e restante da América. Importavam produtos manufaturados e metais. Toda a produção era orientada para a satisfação das necessidades do todo.

Mais de 90% dos turistas falam de “sentir as energias presentes”, o que demonstra a importância de estar nestes sítios. Vê-se o que restou deste grande projeto em uma visita ao Patrimônio Histórico Cultural da Humanidade de São Miguel das Missões, único do Sul do Brasil reconhecido pela UNESCO. Os Sete povos das Missões é uma experiência onde se mergulha no conjunto histórico restante na parte brasileira. Viver o dia a dia das aldeias Guaranis é outra atratividade imperdível. Outros locais importantes são o Caaró e Assunção do Ijuí, santuários representativos da morte dos três Santos Mártires Missioneiros. Há um conjunto importante de cidades de formação europeia do início dos anos 1900. Depois, passa-se ao lado argentino e paraguaio, completando a visita turística aos 30 Povos, o Circuito Internacional das Missões Jesuítico-Guarani, onde são sete patrimônios mundiais missioneiros. Imperdível é andar a pé ou bike pelo ‘Caminho das Missões’ em seus roteiros de 29 dias (BR, AR e PY), 14, 8 ou 3 dias – estes do lado brasileiro.
Por:José Roberto de Oliveira

Nenhum comentário